• (83) 3241-7640 / (83) 98650-0774

    Concursos abrem mais de 15 mil vagas

    14/02/2006

    Salário garantido, estabilidade no emprego e plano de carreira. Motivados por esses benefícios, milhares de pessoas buscam ingressar no funcionalismo público, e inscrevendo-se em concursos. E neste ano, as oportunidades são muitas. Só neste primeiro trimestre, a União e o Estado abriram uma dúzia de processos seletivos oferecendo mais de quatro mil vagas e a previsão é que outros 15 concursos sejam abertos ainda neste semestre, num total de mais de 15 mil postos de trabalho.

    O processo que oferecerá mais vagas nesse início de ano é o da Petrobras, que selecionará 1.380 profissionais para 46 cargos distribuídos para quem tem ensino médio, técnico e superior. Ainda para este semestre, outros 15 concursos já foram autorizados por órgãos públicos.

    Com 20 anos de experiência na promoção de cursos preparatórios para concurso, o professor Norisvaldo Ferraz afirma que essa quantidade está dentro da previsão. “Esse ano tem eleição”, explica. Outra observação de Ferraz é sobre o número de vagas anunciado pelos editais. “Nem sempre é chamado o número de candidatos que está descrito. Para o Hospital Estadual por exemplo, no edital estava determinada apenas uma vaga para auxiliar de enfermagem e acabaram chamando centenas”, conta.

    Apesar da grande oferta de oportunidades, Ferraz, que é proprietário de uma escola de cursinhos preparatórios, afirma que os concursos públicos que não oferecem vagas para a cidade, não atraem candidatos. “Se não oferece cargos para Bauru, o pessoal nem se interessa”, explica. Os processos seletivos campeões de procura na cidade são para instituições financeiras governamentais. “Caixa Econômica Federal, Banco do Brasil e Nossa Caixa são os mais procurados. Concursos de oficial de justiça e da Justiça do trabalho também atraem um grande público”, comenta.

    E mesmo sem ter data definida, muita gente já está estudando para o concurso que vai selecionar novos agentes fiscais de tributos estaduais. O que atrai uma leva de mais de 700 interessados para cada vaga? A resposta é simples: o salário inicial de R$ 8,3 mil. O concurso já foi autorizado pelo governador Geraldo Alckmin no início de dezembro e o edital será publicado até junho.

    Aline Rafael Gozzo Bruschi já é funcionária pública, mas voltou para os estudos para conseguir um cargo melhor. Formada em direito, ela trabalha na Caixa Econômica Federal, mas está buscando emprego na área fiscal ou auditorial. Há um ano e meio ela participa de processos seletivos e já conseguiu classificação no concurso do Tribunal de Contas do Estado. “Estou esperando ser chamada. Enquanto isso, continuo estudando”, conta.

    Apesar de já ter passado por oito processos seletivos, Gislaine Aparecida de Sousa não desanima. Determinada, ela está se preparando para o concurso de agente fiscal de renda. Ela já trabalhou como funcionária concursada no banco Nossa Caixa, onde era agente administrativa. Moradora de Arealva, ela viaja todos os dias para Bauru, onde trabalha e freqüenta o cursinho preparatório. O esforço de Sousa em voltar para serviço público é motivado pela estabilidade profissional e é claro, pelos vencimentos. “Se passar, vou ter tempo para fazer uma outra faculdade”, planeja a aluna, que é formada em física.

    Concorrência acirrada

    A cada processo seletivo de órgãos governamentais de renome, como Petrobras e Banco do Brasil, aberto, são milhares de pessoas inscritas. No último concurso público para o Tribunal de Contas do Estado, por exemplo a relação era de 743 candidatos para cada vaga. “Mas cerca de 90% desse pessoal não se preparou”, calcula o professor Norisvaldo Ferraz, proprietário de uma escola especializada em cursinhos preparatórios para concursos.

    Segundo professor, apenas uma pequena parte dos candidatos realmente se dedica na preparação para o processo seletivo. Mas isso não é motivo para relaxar. O professor Ferraz acredita que os concursos estão cada vez mais difíceis e, se o pretendente não se aplicar, dificilmente será classificado. “Tem que estudar no mínimo quatro horas por dia, todos os dias. Se for tentar a sorte, é mais fácil pegar o dinheiro da inscrição e jogar na loteria”, aconselha.



    Telefone / Celular (83) 3241-7640 / (83) 98650-0774 - Rua Antônio Rabelo Júnior, 161 - Miramar - Empresarial Eco Business Center, 9º andar, salas 911/912 - João Pessoa - PB